Por fazer uso de ingredientes 100% natural, nunca se ouviu falar tanto em fitoterapia para pets. Mas será que ela realmente funciona? É isso que vamos descobrir no artigo de hoje.

De origem grega, a palavra fitoterapia é a junção de dois termos: fito (planta) e terapia (tratamento.). Portanto, significa o uso de plantas medicinais no tratamento de alguma doença ou desconforto no corpo.

Apesar de estar cada vez mais em alta, a fitoterapia é uma tradição que nos remete à antiguidade. Há mais de 60 mil anos já se usavam plantas para essa finalidade, principalmente em tratamentos por meio da ingestão e infusão de ervas ou chá.

Muito comum no tratamento de humanos, a fitoterapia tem ganhado mais espaço no mundo dos pets. E uma coisa é certa: a medicina veterinária só tem a ganhar com a introdução dessa modalidade de tratamento.

Conheça um pouco mais sobre a fitoterapia para pets, como as principais plantas e ervas usadas e para que elas servem.

Mas a fitoterapia para pets funciona mesmo?

Sim, a fitoterapia tem eficácia comprovada e possui diversas vantagens no tratamento de cães, gatos, aves e até animais exóticos.

Sua aplicação no mundo dos bichinhos de estimação é bastante semelhante ao que já vimos nos princípios de aplicação em humanos.

Basicamente, são utilizados ingredientes naturais como compostos ativos em forma de creme, óleo, extrato, infusões e até a própria planta in natura. O uso dessa variedade depende do diagnóstico do animal.

Apesar de não terem a mesma potência e velocidade dos compostos químicos sintéticos, os fitoterápicos geram menos problemas colaterais. Por isso, eles são mais indicados para problemas crônicos.

Os medicamentos fitoterápicos visam o longo prazo, uma vez que demoram mais tempo para agir, mas são menos agressivos e invasivos para o organismo do seu bichinho.

Em outras palavras, a fitoterapia para pets acaba por evitar problemas colaterais nos rins, fígado e estômago, o que costuma acontecer com a aplicação de compostos químicos.

Quando recorrer à fitoterapia para pets?

Seu pet anda muito agitado? Um chá de melissa pode cair bem para ele.

Ops, você percebeu que seu bichinho está com dificuldade na digestão? Talvez uma infusão com folhas de boldo solucione de vez o problema.

E se for algum problema com a respiração? Por sua vez, a menta pode trazer um alívio e tanto para aquele pet que está muito ofegante e com problema de respiração.

Enfim, existem diversas situações em que a fitoterapia para pets pode ser aplicada com segurança.

Os mais procurados fitoterápicos e para eles que servem

Agora que você já sabe que a fitoterapia funciona em muitas ocasiões, está na hora de conhecer quais são as plantas mais usadas no mundo animal e para que elas servem.

Confira a lista abaixo:

  • Camomila – como possui ação antioxidante, antibactericida e antiespasmódica, ela pode ser usada no tratamento de úlceras intestinais e gástricas, cólicas, gastrite e doenças inflamatórias intestinais.
  • Melissa – ajuda a deixar seu pet mais tranquilo e calmo. Pode ser uma boa ideia se você quer levar seu cãozinho para uma viagem de carro, né?
  • Aloe Vera – possui uma eficaz ação hidratante.
  • Calêndula – ajuda na cicatrização e tem poder antisséptico.
  • Arnica – ajuda a diminuir edemas, hematomas e traumatismos. É um anti-inflamatório natural.
  • Funcho – possui ação na mobilidade gastrointestinal e usado no tratamento de flatulências.
  • Própolis – trata problemas respiratórios e inflamações
  • Menta – usada para problemas respiratórios por meio da inalação, traz alívio imediato.
  • Boldo – o chá da folha de boldo contribui em problemas no fígado.

Interessante, não?

Podemos resumir que as vantagens da fitoterapia para pets são inegáveis e funcionam de fato. Além de possuírem uma excelente relação custo/benefício, a ação via medicamentos com origem 100% natural possui um método eficaz e com baixo efeito colateral.

Aqui, é importante ressaltar que o uso dos fitoterápicos vai depender do diagnóstico do veterinário.

Portanto, antes de recorrer à fitoterapia para pets, sempre procure orientação profissional. Afinal de contas, você não quer fazer nenhum mal ao seu bichinho, né?

Uma vez utilizados de forma errada, os medicamentos fitoterápicos podem trazer resultados indesejados. Então tenha os devidos cuidados na utilização desses medicamentos, hein!